Grupo Estrutura do Viver

Atestado de óbito: Tudo o que você precisa saber sobre esse documento

Depois de um falecimento, durante os procedimentos funerários, existem diversas questões e  pendências que devem ser consideradas e resolvidas pelos familiares o quanto antes.  

Alguns documentos devem ser obtidos para a realização de todo o processo. Um dos mais importantes é o atestado de óbito, o primeiro a ser emitido após o falecimento do familiar.

O que é o atestado de óbito?

O atestado de óbito (também conhecido como declaração de óbito) é redigido por um médico. Nesse documento, o profissional atesta o falecimento de uma pessoa, indicando, inclusive, a causa diagnosticada para o fim da vida dela.

Normalmente, os responsáveis por preencher todos os campos obrigatórios do atestado de óbito é o médico que realizou a assistência do paciente (no caso de hospitais) ou o legista (no caso de morte em outros locais).

Qual é a diferença do atestado de óbito para a certidão de óbito?

Os dois documentos possuem nomes parecidos, porém têm propósitos diferentes. Enquanto o atestado é emitido por um médico para comprovar a morte de uma pessoa, a certidão é emitida por um cartório de registro civil das pessoas naturais, que aponta e documenta o falecimento de uma pessoa. A maior particularidade da certidão de óbito, é que ela só pode ser gerada pelo cartório mediante apresentação do atestado de óbito.

Na certidão, os seguintes dados estão presentes:

  1. Data e hora do falecimento;
  2. Estado civil da pessoa;
  3. Se possui filhos;
  4. Identificação de todos os familiares;
  5. Se a pessoa deixa bens e herdeiros;
  6. Se era eleitor;
  7. Classificação da morte (natural ou violenta);
  8. Causa conhecida da morte.

Outro detalhe que precisa ser lembrado, é que o sepultamento  de qualquer tipo,  seja a cremação ou seja em cemitério público ou privado, só poderá acontecer com a certidão de óbito em mãos. Esse documento também é necessário para encerrar contas bancárias, dar entrada no processo de inventário ou gerar o fim de vínculo empregatício, entre outras coisas.

Resumindo as diferenças: o atestado de óbito é o documento que aponta a ocorrência da morte, com dia, horário e causas. Já a certidão de óbito é o registro realizado sobre o falecimento, sendo o documento oficial para a resolução das principais questões neste momento.

Saber quais são os trâmites funerários após um falecimento é fundamental para não ficar perdido diante de uma fatalidade dessa natureza. Assim, é possível evitar problemas e dores de cabeça que maximizem a dor sentida.

No momento delicado da perda de uma pessoa querida, é importante ter profissionais ao seu lado com expertise sobre o assunto e que possam dar todo o suporte não apenas na questão burocrática, mas também emocional. Conte com o Grupo Estrutura do Viver para te ajudar em tudo o que for necessário.

Aqui na nossa empresa existem diversos planos que podem te ajudar a proteger as pessoas que você mais ama e quer bem. O plano familiar é um dos pacotes de assistência funeral que deixa toda a sua família livre de problemas futuros e sem preocupações com o que pode acontecer. Em caso de óbito na família, todos poderão contar com um atendimento humanizado, que permita que as pessoas passem por este momento difícil da forma mais tranquila possível. Por isso, se você deseja ter paz para viver bem, contrate um bom plano funerário. Estamos à disposição para esclarecer suas dúvidas e ajudar a entender como tudo funciona. Nos contate pelo site e nos siga no Facebook e Instagram para acompanhar os conteúdos.

Saiba mais sobre os outros serviços do Grupo Estrutura do Viver, baixando o E-book Grupo Estrutura do Viver – Quem tem, vive tranquilo!

Se inscrever
Notify of
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x